sexta-feira, julho 29, 2011

Escola Hedy Madalena Bocchi proporciona mais segurança

A escola do Ensino Fundamental e do Ensino Médio,Professora  Hedy Madalena Bocchi está localizada em Hortolândia, no Jd Evereste.
Em abril deste ano, todos pela mídia e pessoas da Educação, presenciaram o dia fatídico na Escola Tasso da Silveira,em Realengo,Rio de janeiro.
Sem muita proteção, esta escola viu um "louco",assassinar 12 crianças inocentes em 7 de abril de 2011.
Este fato trouxe a tona em escolas  de todo o país, assuntos sobre a questão de segurança para alunos,professores e funcionários.
Como forma de diminuir estes indíces,Clóvis que é vice-diretor da Hedy Madalena diz que instalou um sistema de monitoramento,com câmeras de segurança e já possui também um sistema de alarme na escola.
Como a escola Hedy Madalena,recebe o Programa Escola da Família e abre suas portas aos finais de semana para a comunidade,a atenção e segurança existe.
Esta decisão do diretor quer preservar e garantir a segurança da escola. 
A segurança deve ser um requisito em todos os locais de centros educacionais,e todos devem se preparar e não deixar falhas,e proporcionando um ambiente seguro.

Jucélia Souza


Posto de Saúde do Santa Clara I promove palestras


Posto de Saúde localizado na região de Hortolândia, não somente é um local para consultas,desde 2008 acontecem  palestras para orientar a população local.
O projeto partiu da parceria com uma Escola de Enfermagem Liderança,,juntamente com os enfermeiros do posto.
Existem também participações de psicólogas e de nutricionistas em algumas palestras.Estas palestras acontecem toda última sexta-feira do mês.
Cidinha,enfermeira do posto diz, que gosta de reunir os pacientes e aproveita para formar grupos e realizar excurções no Zoológico de Americana  e São Paulo,Parque do Ibirapuera como forma de envolvimento maior entre eles e uma maneira de não querer ficar só em casa como acontece com alguns.
As palestras são realizadas para orientar boas práticas de alimentação,armazenamento de medicação,esclarecimentos da diabetes e da hipertensão,etc...
O público alvo para este tipo de palestras são diabéticos e hipertensos,mas existe espaço para quem gosta de saber mais sobre Saúde.
Luzia que é diabética diz, que ao assistir as palestras, não precisou fazer de qualquer jeito a sua alimentacão as dicas e os esclarecimentos dos profissionais da Saúde, foram essenciais para melhorar a  sua qualidade de vida.


Jucélia Souza

Televisão e a influência de suas programações no dia-a-dia das crianças



Com o passar dos tempos,a mídia televisiva está em constante expansão.
Existem grande variedade de programas, onde os pais e responsáveis por crianças devem
preocupar-se com o conteúdo das programações e a classificação de faixa etária mais 
apropriada para seus filhos.
Na atualidade muitos pais trabalham fora e consequentemente deixam suas crianças
seja em creche,com avós ou outro responsável em sua ausência.
E existe também aqueles pais que sem condições, terminam até por deixar seus filhos
sozinhos.
O acesso a informação com o advento da internet é ilimitado,tanto pais e outros responsáveis
devem ter atenção redobrada no que seus filhos acessam e no que estão assistindo no dia-a-dia.
Os cuidados pelos pais no que seus filhos assistem na TV e acessam na internet vão evitar algumas alterações
em seus comportamentos.
E com as atitudes desses pais podemos evitar comportamentos mais agressivos de crianças,problemas 
psicológicos e prejudicando assim o desempenho escolar.

Jucélia Souza

Liang Gong 18 terapias completa 6 anos na cidade de Hortolândia

O Liang Gong em 18 terapias é uma modalidade chinesa, feita por meio de exercícios terapêuticos ,que tratam corpo e mente.
A prática regular fortalece a saúde,consolida e potencializa o efeito terapêutico.Em sedentários vai equilibrar e previnir doenças.
Este tipo de exercícios terapêuticos está em Hortolândia desde julho de 2005 e foi introduzido pela Secretaria de Saúde em várias unidades.  
Muitos adeptos,mulheres e homens da terceira idade e até jovens realizam a ginástica.
Na unidade do Jardim Santa Clara II, foi fretado um ônibus para levar os participantes do Liang Gong para a sua festa de aniversário .
Luzimar diz,que é uma grande festa e que todos participam com alegria em meio ao clima da confraternização.
Este ano aconteceu a comemoração com um bolo de 6 metros no Caic do Jardim Amanda.
Um momento inesquecível para todos,principalmente para os idealizadores


Jucélia Souza

.Parque Ecológico de Hortolândia proporciona lazer e diversão nas férias de julho


Localizado no Jardim Santa Clara II,é um espaço que nestas férias tem oferecido aos moradores do bairro e seus visitantes lazer e diversão.
O parque possui uma Academia com aparelhos voltados para a Terceira Idade,tem jovens que a utilizam também e gerações trocam experiências.
A moradora Luzimar frequenta a academia todas as terças pela manhã e diz que os exercícios ajudam a ter mais disposição.
Em todo o parque uma grande área verde,com belas árvores,lagoa com patos selvagens e garças.
Existe também parquinhos com gangorras,balanços,escorregador,casinha de corda para a diversão das crianças e um pouco de distração para os pais presenciando a brincadeira de seus flihos.
O parque possui o Museu de História Natural,com muitos bichos empalhados e a visitação é gratuita.
Possui o CREAPE Centro de Referência em Educação Ambiental"Parque Escola"que desde 2008 administra o Parque e traz oficinas de reciclagens,caminhadas nas proximidades do seu prédio no próprio parque, mas antes é preciso fazer um agendamento.
Quem gosta de uma comida mineira, o Restaurante da Lagoa não deixa a desejar,e todos são bem vindos.

Jucélia Souza

sábado, julho 23, 2011

Descobrindo os talentos

Kauana Martins,14 anos mora com sua mãe e sua irmã na cidade de Hortolândia.Atualmente cursando a oitava série do ensino fundamental,Kauana têm muitos sonhos.
E um deles já é realidade, ser ginasta . Sua mãe a matriculou na Ginástica Municipal de Hortolândia,quando
Kauana tinha 10 anos.
Disciplina e uma alimentação equilibrada são recomendações da professora,para garantir melhor desempenho e
Kauana segue à risca.
Os ensaios da ginástica são realizados nas quartas e sextas no Ginásio Vitor Savala.
Já participou de competições em cidades do interior e conquistou algumas medalhas.
Sua mãe Gisele é uma grande incentivadora da filha,mas Kauana quer prioridade também aos estudos,quer
ser engenheira civil.



Kauana, tem o sonho de ser ginasta,mas não descuida dos estudos


Jucélia Souza

terça-feira, junho 21, 2011

Dicas de redação para rádio

Por Thais Terosso

De acordo com livro Linguagem Jornalistica de NIlson Lage o  texto adaptado para radio é escrito de forma diferenciada de outros veículos, devido à leitura possivelmente ao vivo que o locutor terá que fazer.
Podemos usar vírgulas e barras para pausas de leitura, facilitando um melhor entendimento da frase dita.
Números, moedas devem ser escritos por extenso, e tudo o que for lido não podem sofrer abreviações.
Roteiros devem ter diferenciação do texto que será lido dos que darão indicação para locução ou sonoplastia. Por exemplo: escreva em versal o que será lido e em minúsculas as indicações.
Nas transmissões ao vivo deve-se evitar o Maximo de improvisação, tenha sempre consigo o texto, as pesquisas, enfim tudo o que será dito.

segunda-feira, junho 20, 2011

Essenciais

Por Tony Claytom

Amigos, gostaria de discorrer aqui, sobre um tema recorrente neste espaço diário de reflexão: a amizade. Que me perdoem aqueles que ao lerem este relato pensem da seguinte forma: "Amizade? Denovo?". Sim amigos, amizade sempre. Mas vejam bem, queria escrever aqui hoje, não somente sobre amizade, mas também falar de amor, reciprocidade, respeito, carinho, admiração, enfim, todos os sentimentos que cercam uma grande e verdadeira amizade.

Durante esta semana, eu fui agraciado com uma das maiores e mais bonitas homenagens que já recebi, Fernando Silva, um velho parceiro, homenageou a mim e a nossa amiga Elisangela Carrenho, e outros amigos também, com um belo texto sobre amizade. Pois bem, gostaria de retribuir e contar um pouco o que é ser amigo de pessoas tão maravilhosas. Conheço Fernando há no minímo uns 13 anos, e desde sempre o adimiro pela inteligência e o seu eterno bom humor. Durante alguns anos ficamos afastados e sequer nos viamos, mas por um desses caprichos do destino, nos reencontramos exatemente na faculdade, e sem saber cursavamos a mesma área, Jornalismo. E aí estamos nós firmes e fortes, seguindo por esse tortuoso caminho, caminho este que nos fez trilhar novamente uma parceria que jamais havia descarrilado, se é que me entendem, pois como já diria o poeta Vinícius de Moraes: "A vida é a arte do encontro embora haja tanto desencontro pela vida".

Já sobre Elisangela, essa foi uma amizade que demorou um pouco mais, pois confesso que no início ela não era uma das minhas pessoas favoritas da turma, mas vejam vocês, nosso elo de ligação foi uma grande amiga citada por Fernando em seu texto: a pequena Cristiane Cardoso. E aqui faço uma ressalva: pequena no tamanho, mas enorme na essência. Pois bem, descoberta a possibilidade de sermos amigos, Elisangela e eu, nos tornamos muito mais que isso e hoje somos cumplíces, parceiros, comparsas, irmãos, enfim uma série de adjetivos que poderia colocar aqui. Mas a dona Lilica Ripilica, que é como carinhosamente eu a chamo, é hoje uma pessoa tão especial e essencial em minha vida, que passando mais do que 2 dias sem falar com ela, parece que o mundo tornou-se um vazio enorme.

Vejam vocês, estamos as portas de mais uma férias de julho, e ao mesmo tempo em que celebro essa providencial parada e penso nas noites de descanso em que terei, penso também em como será chato não tê-los por perto. E observem que o amigo Fernando é um vizinho que está a apenas 4 quadras da minha casa, mas claro o trabalho e os desencontros não nos permite estarmos sempre em contato. Inclusive, nem mesmo consigo ver sempre o amigo José Eduardo, também conhecido como Babão e quem me apresentou a Fernando.

Por fim, gostaria de mais uma vez deixar aqui a imensa admiração, e o enorme carinho que tenho pelos dois, e a sufocante falta que ambos farão ao meu universo nesses dias que se seguirão, mas acima de tudo gostaria de deixar claro o quanto vocês são especiais, essenciais e importantes em minha vida.

Vida que segue...

A Guerra que todos querem ver

O livro A Guerra Dos Tronos, primeiro volume da série As Crônicas de Gelo e Fogo, do escritor George R.R Martin, vem se tornando um dos mais procurados nas livrarias brasileiras, desde que a rede de TV HBO lançou a série Game Of Thrones, baseada no livro.

Antonia Marinho Silva, vendedora da livraria Pergaminho, localizada em Campinas, afirma que as vendas do livro aumentaram após o projeto da HBO. "Em maio as vendas dos volumes A Guerra dos Tronos e Fúria de Reis - este que é o segundo livro de As Crônicas de Gelo e Fogo -, deram um grande salto. Acho que as pessoas querem ver o que deu origem  ao programa da TV, além é claro da leitura da obra ser muito prazerosa", conclui a vendedora.

Essa informação também pode ser comprovada na revista Veja da primeira semana de maio, que traz o ranking dos livros mais vendidos no país. Até abril, o livro estava em quinto lugar, já em maio, após o lançamento da série pela HBO, o livro já figurava entre os três primeiros.

As Crônicas de Gelo e Fogo são distribuidas no Brasil pela editora Leya, mas apenas dois dos cinco livros da série foram lançados no país. O próximo volume A Tormenta das Espadas, está previsto para chegar em novembro às livrarias brasileiras. Enquanto aguardam a chegada do novo livro, os fãs das obras de Martin, podem ver a série Game Of Thrones na HBO, todos os domingos às 22h.

Veja o trailer da série Game Of Thrones da HBO:

Cobertura inusitada

FERNANDO SILVA

* Texto originalmente publicado no site Grande Prêmio em 20 de junho de 2011

Desde que entrei para o Grande Prêmio, em março de 2010, já viajei mais do que já havia feito antes em toda minha vida. Conheci muitos lugares, como Goiânia, Palmas, Fortaleza e o Jalapão, e voltei para outros de tão agradabilíssima lembrança, como Buenos Aires. Mas o último fim de semana, em São Paulo, perto de casa, marcou talvez uma das coberturas mais inusitadas da minha curta carreira.

Além de setorista ralizístico do site, função que desempenho com enorme prazer, venho fazendo a cobertura da Porsche Cup desde maio, quando voltei à capital argentina, e também tenho cumprido a atividade com grande gosto. Conheci pessoas importantes na carreira; aos poucos, passo a ganhar o respeito das pessoas e também o reconhecimento dos pilotos, e mais importante que tudo, tenho acumulado muita experiência.

São Paulo: cada vez mais saturada. Crédito: Agência Estado
Depois de passar por Buenos Aires e pelo Velopark, era chegada a hora da etapa de Interlagos. E lá fui eu, com a habitual ansiedade e muita disposição. Incrivelmente, ou não, cheguei em Interlagos mais de cinco horas depois de deixar Sumaré. Ônibus do bairro para o centro da cidade, outro do centro de Sumaré para Campinas, mais um de Campinas rumo a São Paulo, um metrô do Tietê ao Jabaquara, e por fim, o último ônibus rumo a Interlagos.

É cada vez mais difícil transitar por São Paulo, cidade bastante saturada há muitos anos. Eu, como oriundo do interior, às vezes ainda me impressiono um pouco. Normal. Mas a epopeia fora cumprida, e lá estava eu presente ao templo sagrado do automobilismo brasileiro, como eu gosto de dizer.

Ainda na sexta, fui surpreendido com um convite para ser comentarista por um dia no Speed Channel em espanhol. O fato é que o titular da posição não estava lá muito bem de saúde e fui chamado para ficar de stand-by. Eu prontamente aceitei, mas com a absoluta certeza de que não estrearia na televisão no dia seguinte.

Sem pensar muito nisso, já estava planejando o descanso depois de tamanha maratona para chegar em São Paulo. Mas com os hotéis da região de Interlagos lotados, restou a mim uma vaga em um motel lá perto, na rua do portão 7. Confesso que foi estranho, jamais havia ido a um motel sozinho. Quando você está sozinho, solteiro, às vezes um motel não é lá um lugar de boas lembranças. Mas ignorei os fatos. O quarto era bem honesto até... Não preciso de muito, pra falar a verdade, não ligo nada para conforto. Apenas um chuveiro e uma cama bastam para mim. Chegou a manhã, pedi o café da manhã e tal... veio até uma jarrinha de leite. Mas eu, Fernandão, tomar leite em motel? JAMAIS.

Pontualmente às 8h, já estava a postos lá na sala de imprensa de Interlagos para aquele que seria o dia de trabalho mais louco da minha curta carreira. Depois de falar com os guerreiros na redação, fui confirmado como comentarista oficial da prova para a América Latina. E lá fui eu com o cu na mão, mas fui.

Em tempo: nem mesmo na minha gloriosa faculdade de jornalismo eu tive muitas aulas de televisão. Experiência zero. Lá fui eu, nervoso e trêmulo para comentar as três corridas da Porsche Cup — duas da Cup e uma do Challenge — para toda a América Latina. Não fui lá muito bem, é preciso dizer. O nervosismo ajudou (ou atrapalhou), e troquei várias palavras e confundi os idiomas em outras tantas vezes. Era o Vanderlei Luxemburgo, mestre do idioma espanhol em sua jornada pelo Real Madrid, sua versão sumareense. Sobrevivi, depois de suar muito, como diria um amigo meu, e estou aqui para contar essa estreia desastrosa na televisão mundial. Mas valeu.

Passado o nervosismo e as transmissões, quando saí da cabine, dei de cara com Alexandre Barros, um mito da motovelocidade. Não é qualquer um, como mostra o vídeo abaixo. Eu me lembro de ter visto o cara correr desde 1990, quer dizer, desde quando tinha dez anos. Sinal que o Fernandão tá ficando velho. Vi o Alex falando sobre sua lesão no ombro e seu processo de recuperação. Vale lembrar sempre que o Barros correu (e bem) na Porsche Cup no ano passado. É provável que ele volte em breve.



E finalmente, depois de muita batalha e procura, consegui achar o Rodrigo Pessoa, o ‘alvo’ do fim de semana. Eu e mais dois colegas de trabalho tivemos de esperar o cavaleiro, e agora piloto, sair do banheiro para agilizar a entrevista. Foi a primeira vez que entrevistei um campeão olímpico. Mas acho que quem ganhou a medalha de ouro fui eu. O fim de semana mais louco, inusitado e completo da minha carreira terminou assim, com chave de ouro. 

quinta-feira, junho 16, 2011

Diretor da UNIESP Hortolândia afirma: “Nossos alunos não serão prejudicados”

Natalício Martins Souza é casado com uma professora de psicologia e pai de dois filhos. Formado em História, em Amparo, iniciou sua trajetória acadêmica em Itararé, onde passou a lecionar na escola adventista. No ano de 2002 chegou à Hortolândia, trabalhou na prefeitura da cidade e em outras empresas até chegar à direção da UNIESP. Conheça um pouco mais sobre o novo diretor da faculdade na entrevista a seguir.

Fernando Silva (3º ano de Jornalismo): Quais são os projetos para a área de Comunicação na faculdade, nesse próximo 1 ano e meio que temos de curso pela frente?

NM: Apesar do pouco tempo que tive para conversar com os coordenadores, para a área de comunicação, penso que seria interessante termos congressos, intercâmbios e palestras com profissionais da área, para melhor direcionamento dos alunos no mercado de trabalho.

Stephânia Walker (3º ano de Jornalismo): O senhor confirma que ainda este ano teremos novos cursos na grade curricular da faculdade?

NM: Se possível já no 2º semestre teremos os cursos de Pedagogia e Letras, já estamos pensando em toda a logística em torno da montagem dos cursos, como: contratação de coordenadores e formação do corpo docente.

Ebrain Augusto (4º ano de Jornalismo): O senhor está a par do histórico recente da faculdade em torno de greves e protestos ocorridos? Que providências pretende tomar para que isso não volte a acontecer?

NM: Tenho conhecimento e acredito que investir numa boa estrutura e na comunicação com os alunos é a base para que possamos manter em dia o bom nome da faculdade.

Marcelo Carlos (3º ano de Jornalismo): O senhor acredita que novos cursos irão realmente atender e satisfazer a todos?

NM: Através de uma pesquisa de campo e com a chegada de novas empresas, entendo que iremos atender a necessidade de demanda da cidade e também dos novos alunos.

Fabiana (1º ano de Análise de Sistemas): Quais são os projetos para os alunos que estão iniciando a faculdade, em termos de mercado de trabalho?

NM: Através de convênios, até em razão da grande demanda de empresas na cidade, a ideia é que os alunos possam ter os seus anos de estudo aproveitados por essas empresas.

Josiane (3º ano de Publicidade e Propaganda): Teremos a contratação de novos professores?

NM: De acordo a necessidade dos cursos, pretendemos sim contratar novos professores, mas gostaria de deixar claro aos que estão no 3º ou 4º anos de seus respectivos cursos, que sob-hipótese alguma nossos alunos serão prejudicados.

Filhos do cantor Jair Rodrigues, e ambos com uma carreira solida dentro da música popular brasileira, Jair e Luciana são irmãos e agora também parceiros musicais, parceria essa nascida desde o show artistas reunidos, que no início dos anos 2000 trouxe a tona o talento de ambos a época os dois se juntavam a Daniel Carlomagno, Max de Castro, Pedro Mariano e Wilsom Simoninha.

Já a partir da carreira solo de Luciana Melo, essa parceria tornou-se ainda mais firme já que Jair passou a produzir os álbuns da irmã que por sua vez e todos os seus trabalhos apostou nas composições do irmão, o DVD o samba me cantou, foi gravado no ano de 2009 no auditório do parque Ibirapuera em São Paulo e trata-se do 1º registro dos irmãos cantando juntos e para celebrar tal união ambos optaram por cantar samba, gênero que consagrou o pai da dupla o cantor Jair Rodrigues, Jair participa também do DVD e curiosamente a música: “ Alguém me Avisou “ de dona Ivone Lara, foi o primeiro registro dos três cantando juntos

Na apresentação que acontece na praça de alimentação do Shopping Dom Pedro, na próxima terça-feira dia 14 de junho a partir, das 19:30 hrs é todo baseado no repertório do cd e DVD “ O Samba me Cantou” .

Neste domingo dia 12 de junho, comemoramos o dia dos namorados, a data tão celebrada pelos apaixonados, surgiu a partir do martírio que sofreu são Valentim.

Valentim lutava contra as ordens do imperador Claudio II, que na idade média proibira o casamento pois achava que os homens solteiros eram melhores combatentes do que os homens casados. Valentim não só seguiu celebrando casamentos como também casou-se em segredo, condenado a morte ele recebia muitos presentes na prisão, sendo diversos ramalhetes de flores , ele chegou a apaixonar- se pela filha cega de um carcereiro, para muitos a data está ligada a comemoração do dia 13 de junho dia de santo Antonio conhecido por muitos como o santo casamenteiro, uma das maiores tradições do dia dos namorados é a troca de caixas de bombons entre os apaixonados. Em tempos em que o " ficar " para muitos, e principalmente para os jovens é mais corriqueiro, e o namoro algo tão distante e difícil para aqueles que se quer pensam em compromisso sério, o dia dos namorados acaba por tornar-se uma data de vital importância para aqueles que acreditam na força do amor e na importância de um relacionamento sólido.

Religião, espiritualidade, inferno

Uma criança de onze anos, e duas jovens de vinte e quatro e vinte e oito anos respectivamente, falam a respeito da religião nos dias atuais. Falam também sobre o que pensam e sobre a influência religiosa sobre os jovens.

Gabriela Luciana 11 anos, estudante da 5º série do ensino fundamental, espírita:

Aprendi com minha mãe, que a religião é importante para o nosso desenvolvimento espiritual e também religioso.

Gabriela é uma espírita praticante, sobre o inferno ela diz:

È o lugar reservado para as pessoas que não tiveram boa conduta na terra, enquanto aqui estavam.

Já a religião da qual Gabriela é adepta, diz que o inferno não existe, mas sim o peso na consciência das pessoas, que faz com que elas resgatem no fim de suas vidas tudo o que de ruim fizeram no plano de vida em que vivemos.

Amanda 24 anos, estudante de jornalismo, adventista:

Os conceitos hoje em dia mudaram, o que faz com que tudo seja mais liberal. Mas na opinião dela apesar das perspectivas mostram o contrário, os jovens ainda conservam valores familiares e religiosos.

A família de Amanda é dividida entre católicos não praticantes, e evangélicos praticantes.

Sobre o inferno Amanda diz: ”O acumulo de problemas e a falta de perspectivas e paz levam as pessoas ao que chamamos de inferno” .

Já a igreja adventista prega: ”Há terra é o inferno, mas Deus está no controle” .

É importante ressaltar que Amanda nem sempre teve a mesma opinião, mas acima de tudo ela crê nos dogmas da igreja.

Gilmara 28 anos auxiliar administrativa, freqüenta a igreja batista:

Segundo Gilmara, são várias as formas dos jovens ver a vida na atualidade. Os jovens sem princípios morais, acham religião uma bobagem e que na hora em que quiserem podem encontrar os caminhos que levam a Deus, sem perceberem que por muitas vezes não temos uma segunda chance, para que isso aconteça.

Há família toda de Gilmara, freqüenta a igreja batista, ela mesma converteu-se entre 17 e 18 anos e antes não tinha uma opinião formada com relação ao assunto religião.

Os batistas seguem estritamente o que está escrito na bíblia que prega que Deus veio para salvar os que vivem em função da carne e não temem a Deus.

A Queda de Palocci

Nesta terça- feira dia 07 de junho, foi oficializada a saída de Antonio Palocci da casa civil, Palocci ocupava o cargo desde o dia 1º de janeiro, data de posse da presidente Dilma Rousseff.
O ex- ministro sofria uma forte pressão, por estar com o seu nome atrelado a uma denúncia de enriquecimento ilícito, já que seu patrimônio aumentara por 20 nos últimos anos.
Já não era a primeira vez que Palocci via seu nome envolvido em um escândalo, quando ministro da fazenda do governo Lula, Palocci foi demitido do ministério ao ver o seu nome atrelado ao escândalo do esquema conhecido como mensalão, na ocasião Palocci fora acusado de chefiar um esquema de cobrança de propina quando ainda era prefeito da cidade de Ribeirão Preto.
Antonio Palocci Filho, tem 50 anos e é formado em medicina, sua vida política teve início em sua cidade natal Ribeirão Preto, onde foi eleito vereador e por duas vezes ocupou o cargo de prefeito da cidade do interior paulista, ele fez parte também da equipe de transição do segundo mandato do ex- presidente Lula. Palocci teve seu nome ligado por diversas vezes a escândalos, porém não sofreu até hoje nenhuma condenação.

segunda-feira, junho 13, 2011

Palavras de um mito

FERNANDO SILVA

Quem é que nunca um dia se viu apaixonado, mas não teve aquela moral de chegar e bater aquele papo, deixar claro seus sentimentos, com medo de levar um fora ou de ver as esperanças ruírem e tal. Aconteceu comigo há pouco tempo, mas hoje estou praticamente recuperado. Seguindo adiante sempre, como tem e deve ser.

Mas como eterno apaixonado pela música que sou, prestei bem atenção na canção ‘You Don’t Known Me’, do rei do soul, Ray Charles. Ray, aliás, tem uma história lindíssima, retratada em um filme estrelado pelo Jamie Foxx em 2003 — quem não assistiu, essa é a hora: eu recomendo e garanto.

Mas muitas vezes as palavras de uma canção traduzem bem o que o coração sente e tal. Nada mesmo como um bom vinho e uma música gostosa para deixar se renovar e seguir em frente, não é mesmo? Veja aí a obra prima do mestre Ray.


Você me dá sua mão e então você diz "oi!". E eu? Bem, eu quase não consigo falar... Meu coração está batendo tanto, e qualquer um pode perceber... Você pensa que me conhece bem, mas não, você não me conhece.

Você não conhece aquele que sonha à noite com você, e que deseja beijar teus lábios, e que deseja te abraçar apertado... Oh, meu Deus, eu sou apenas um amigo, e isso é tudo que eu sempre fui... Porque você não me conhece... simplesmente não me conhece.

Eu jamais conheci a arte de fazer amor, ainda que meu coração doa de amor por você. Amedrontado e tímido, deixei minha chance passar, uma chance de que você pudesse me amar também.

Então você me dá sua mão, e então, me dizes “adeus”. Eu vi você indo embora ao lado do cara sortudo... Você jamais conhecerá o único que te amou assim... Bem, você não me conhece...

Pois é... Ray Charles é mito demais! Toda a reverência ao mestre. E quanto aos críticos? Bem, quem é que liga para os críticos, não?

Breve desabafo sobre amor e amizade


FERNANDO SILVA

Acostumado que sou para escrever sobre automobilismo, e tudo que tenha rodas e que dispute corridas, confesso que me falta o tempo que eu gostaria para fazer meus rascunhos sobre os assuntos da vida no geral. Infelizmente, a correria impede que eu faça isso, algo que era muito frequente quando tinha meu blog, que se não é finado, está esquecido, coberto por várias camadas de poeira virtual.

Mas é bom escrever de vez em quando sobre algo que não é o trivial. Deixar de lado, nem que seja por um instante, textos sobre Fernando Alonso, Sebastian Vettel, Bernie Ecclestone, GP do Bahrein, para escrever de amor, de amizade, de sentimento, de família, enfim, de pessoas que mexem comigo. Quanto ao trabalho, certamente não há muito a dizer, apenas agradecer a Deus pela dádiva e pela chance. Cabe a mim só render graças ao Pai todo o dia e pedir proteção, porque sucesso, em qualquer escala da vida, gera inveja, e isso é muito foda, no pior sentido da palavra.

Mas como diria NDEE Naldinho, quero falar, ou melhor, escrever sobre amor. Não me desesperei por passar o dia dos namorados sozinho, pra falar a verdade, nem ao menos eu me lembrei desta data, tamanho foi o volume de trabalho do último final de semana. Claro e evidente que um amor é bom e faz falta, desde que seja na medida certa, mas depois altos e baixos nesse último ano (mais baixos que altos, pra falar a verdade), estou otimista com o futuro, mesmo apanhando dessa vida louca vida cantada em verso e prosa por Cazuza.

Eu também queria escrever sobre amizade. Quem me conhece sabe que eu sempre falo isso, e não deixaria de fazer algumas anotações sobre isso aqui no blog. Presto homenagens aos amigos Claytom e Elisangela, mas gosto de me lembrar do passado, saudosista que sou.

O fato é que eu sinto muita falta da turma de Publicidade. Não preciso explicar que no começo do ano as turmas se dividiram e blá blá blá... todo mundo sabe. Embora uma turma com menos gente talvez seja boa para a dinâmica das aulas e tal, uma classe mais cheia motiva mais, acho, dá mais moral, mas enfim. Por mais um ano e meio, vai ser assim... próximos e distantes ao mesmo tempo. Ainda assim, quero mandar um salve para todo mundo da turma de ontem, hoje e sempre. Nos vemos na quarta naquele churrascão esperto.

Por enquanto, é isso. Perdoe-me pela falta de inspiração, talvez. Mas ela virá no próximo post.

PS: Menções para as queridíssimas Cris, Paula e Jucélia. Vocês fazem falta...

terça-feira, maio 31, 2011

AQUI, O PASTEL NÃO É DA FEIRA

Por Stephânia Walker
faninhawalker@hotmail.com

Não há quem resista um pastel quentinho, sequinho e cheio de recheio. Você seria capaz?

Todo mundo sabe que o pastel mais cobiçado é o da feira, não importa se em São Paulo, Campinas, ou Ribeirão Preto. O bom mesmo é comer aquele pastel feito na hora. Mas em Monte Mor, a tradição é outra e tem endereço certo. O pastel mais famoso e delicioso há mais de duas décadas está na Pastelaria do Fuia.

E não pense que se você chegasse lá até o ano passado encontraria um recinto espaçoso, com várias mesas e cadeiras para se acomodar e saborear o melhor pastel da cidade. Está muito enganado. Durante 19 anos, a pastelaria funcionava em um trailer no centro da cidade. As pessoas faziam o pedido no balcão e se espalhavam pelas guias das calçadas, ou esperavam dentro dos carros até o pedido ficar pronto; o que não significava uma longa espera, pois o atendimento é eficientíssimo na rapidez, além da cordialidade.

Porém, no ano passado, a prefeitura de Monte Mor não renovou os alvarás de funcionamento de trailers e bancas de revistas. Segundo o secretário de Administração, Trânsito e Mobilidade Urbana - Carlos Gustavo Ronchesel –, “a administração pública decidiu não mais renovar alvarás de funcionamento bem como manter as autorizações de utilização de espaço público, vindo assim a promover a desocupação do solo que pertence à toda municipalidade.” E continuou: “A administração pública não está proibindo os cidadãos de exercerem atividades comerciais neste seguimento, porém devem se instalar em solo particular e estar dentro das normas técnicas exigidas para cada seguimento (alimentos, revistas, entre outros), com certeza terão seu Alvará de Funcionamento.” O principal objetivo da Prefeitura é o cumprimento do projeto de reurbanização da cidade.

Nesse quadro de mudanças, a Pastelaria teve de se adaptar; e depois de 19 anos com endereço certo, não houve alternativa. Ou seguia as novas normas, ou fechava as portas.

Conseguiram então um endereço perto dali e se restabeleceram. Ao contrário do que se imaginava, obtiveram um sucesso maior entre a clientela. “O novo espaço é mais confortável para nós e para os clientes que se sentem mais à vontade”, afirmou Cristina que é proprietária junto com seu esposo Júlio César – o Fuia. “Antes, os clientes nunca pediram para colocarmos mesas e cadeiras, tudo funcionava muito naturalmente, por isso tivemos receio quando mudamos para o novo endereço, mas a mudança não afetou em nada, só melhorou. Ainda tem aquelas pessoas que pegam o pastel e vão sentar na calçada, como sempre fizeram. Mas a maioria fica por aqui mesmo”, completou.

Com ou sem cadeiras, o certo é que ninguém resiste à receita que segue por mais de 20 anos. São mais de 50 sabores no cardápio e o cliente ainda pode combinar os ingredientes que preferir. Outro personagem principal é o molho, que não é encontrado em nenhum outro lugar. A receita é guardada a sete chaves; pertencia a uma conhecida da família, que fornecia o molho pronto, mas devido ao aumento da demanda, ficou inviável e ela vendeu a receita para Cristina, que mantém o segredo, deixando apenas como dica que o molho é à base de vinagrete, catchup entre outras iguarias.

Na dúvida, não tente fazer em casa. Passe na Pastelaria, que fica na Rua do Cruzeiro nº 16 A, no centro da cidade. O horário de funcionamento é de segunda a sábado, das 17:00h as 22:30h e bom apetite!

 Novas instalações da Pastelaria.

 Endereço antigo, mas já revitalizado.

No Asilo também tem diversão

Por Stephânia Walker
faninhawalker@hotmail.com

A Associação Assistencial Montemorense promoveu no sábado, a 17ª Festa do Asilo de Monte Mor. O frio de 7ºC não espantou o público, que, segundo a Associação foi de 3.500 pessoas. Às 21h, a fila dava volta na rua que dá acesso ao local. O evento beneficente acontece uma vez por ano, no mês de junho, com o objetivo de angariar fundos para a instituição, que conta com doações e eventos como este para manter os 35 idosos internos. Estes são assistidos regularmente por médicos, enfermeiras, fisioterapeutas, cinco cuidadoras que ficam tempo integral no Asilo, além de alimentação balanceada, feita especialmente para os abrigados.

A animação da festa ficou por conta da Banda Geração Cowboy, que fez o público dançar do tecno-brega ao axé. Não esquecendo que era dia dos namorados, a banda dedicou parte do show aos corações apaixonados. Mas o grande atrativo da festa com certeza são as delícias vendidas lá. O cuscuz é o mais procurado: foram consumidas mais de 2.200 unidades. E ainda, 1.000 pastéis e 1.000 churrasquinhos, sem contar os cachorros-quentes, bolos, doces e bebidas para todos os gostos.

“Foram meses de preparação, mas as empresas da cidade e até de cidades vizinhas sempre nos ajudam com doações de material em geral, dinheiro e brindes para sorteio na festa. Todo mundo já sabe que o trabalho do Asilo é um trabalho sério, os idosos são bem cuidados e a diretoria da Associação sempre demonstrou compromisso com a causa. Não é fácil, fazemos eventos todos os meses, vendemos pastéis, ovos de chocolate, enfim, estamos sempre buscando melhoria de vida para nossos idosos”, declarou Stella, funcionária do Asilo. O trabalho durante as festas é voluntário, assim como o trabalho da Diretoria.

A Associação foi fundada em meio a muitas dificuldades em 1970 por Lázaro Lirani, e tem se mantido firme graças à ajuda de seus mantenedores.



Museu Elizabeth Aytai

Por Stephânia Walker

O Museu Elizabeth Aytai completou 22 anos no dia 05 de novembro 2010. Apesar da aparência discreta - o museu encontra-se em uma distinta casa no centro de Monte Mor, porém sem identificação pode-se passar despercebido pelo local - o acervo conta com mais de 8.000 peças em exposição permanente. A principal atividade do museu é organizar exposições de objetos encontrados em escavações, já que a cidade está localizada no centro arqueológico da região, onde ainda hoje são encontradas peças de grande valor cultural.

No museu existe um corredor central onde estão expostos objetos e fotografias doados por pessoas da cidade; há uma sala que é chamada Sala Transitória, onde de 4 em 4 meses toda exposição é trocada, no momento o tema é sobre a tecelagem indígena. Todo processo está registrado por meio de fotografias, desenhos e objetos como o tear indígena, algodão natural em vários estágios e outros materiais usados para confeccionar redes e adereços em geral. Em outra sala estão expostos objetos de 2 tipos de cultura indígena, os Caçadores-coletores e os Ceramistas.

Os Caçador-coletor locomovem-se muito rápido, pois são predadores e não estabelecem moradia permanente. Ficam alguns meses na região, pescam, caçam enquanto há alimento e saem à procura de outra região produtiva; não exercem a agricultura. Outra característica é que não fazem grandes aldeias, porque assim o alimento acaba mais rápido, vivendo, portanto em pequenos grupos. No museu existem lanças, pontas de flecha, e outras armas feitas de pedra pelos índios que passaram pela região.

Os Ceramistas viveram aqui há cerca de 1.000 anos deixando resquícios de uma cultura muito rica e inteligente. Eles estabelecem moradia fixa e exercem a agricultura. Receberam esse nome “ceramista” porque trabalham o barro fazendo panelas, utensílios em geral e até urnas para enterrar os mortos, mas esta apenas para defuntos de honra, ou seja, índios com alguma posição de destaque na tribo. A peça mais importante e provavelmente de maior atrativo no Museu é uma urna que foi encontrada em 1971 durante as escavações em um sitio em Monte Mor. Dentro dela foi encontrada a arcada dentaria de uma pessoa do sexo masculino de aproximadamente 26 anos de idade. Acredita-se que ele tinha um grau de importância na tribo, pois nem todos eram todos enterrados assim.
 
O idealizador e fundador do museu, Dr. Desidério Aytai era de origem húngara, foi engenheiro-chefe da estrada de ferro húngara, depois foi convidado pela ONU para negociar todo armamento sobressaltante da II Guerra Mundial como munição, navios, jipes de outros países na Europa. Mas sua grande paixão era a antropologia. Como ele mesmo deixou escrito em sua autobigrafia “Não tinha curso para formar antropólogos naquela epoca, portanto tive que seguir parte de vários cursos para minha formação. Sou antropólogo livre-docente e adquiri também diploma de Engenharia Mecânica, esta última não por interesse intelectual, mas para ganhar dinheiro e gastá-lo para pesquisa antropológica. Expedições, viagens custam muito.” Interessado em estudar a cultura indígena, chegou no Brasil em 1948, e começou pelos índios Sambaquis no litoral Sul Paulista. Em 1963, foi convidado pela Universidade Católica de Campinas (PUCC) a ocupar a cadeira de Antropologia nos três primeiros anos no curso de Ciências Sociais, e aceitou. Anos mais tarde fundou na PUCC a Faculdade de Engenharia, sendo o primeiro diretor da mesma.
 
Durante anos de pesquisa, Dr. Desiderio visitou as tribos dos Xavantes, Bororo, Paressi, Guarani, Karajá, Halótessu da Serra Azul, Sararê, Galera, Mamaindê, morando com eles durante semanas e às vezes meses, sempre acompanhado de sua esposa Elizabeth Aytai, que o auxiliava nos registros de imagens, sons e anotações, mas veio a falecer em 1990, aos 84 anos de idade.

Alguns dos principais museus que o Dr. Desiderio contribuiu foram o museu da Smitasonian Institution em Washington D.C., no Musée de l´Homme em Paris, no museu do Vaticano em Roma, fundou o Museu Histórico de Paulínia, além é claro, o Museu Elizabeth Aytai.

Dr. Desiderio faleceu em Monte Mor no ano de 1998 com 93 anos, seu sonho era morrer no museu, não aconteceu, mas trabalhou até seus últimos dias de vida.
O Museu encontra-se na Rua Siqueira Campos, 196 no centro de Monte Mor.

 Sala de exposição
 Sala de exposição
 Urna indígena

domingo, maio 22, 2011

31 de Maio dia Mundial das Comunicações Sociais

 O Jornalista, O Publicitário e O Relações Públicas, são os profissionais que englobam a área das comunicações sociais. Quando vemos uma notícia em um jornal impresso e na TV ou a ouvimos no rádio, somos atingidos pelo trabalho do Jornalista. Quando vemos uma propaganda de um produto, estamos observando o trabalho do Publicitário e quando uma empresa anuncia de forma positiva suas atividades em algum veiculo de comunicação provavelmente se utilizou dos trabalhos de um Relações Públicas.
Partindo desse ponto, percebe-se que a comunicação social está presente no cotidiano das pessoas, por sua vez os seus profissionais são influenciadores e formadores de opinião.
No próximo dia 31 comemora-se o dia mundial das comunicações sociais, ciência humana que estuda os meios de comunicação de massa e segundo a CONFERP (Conselho Federal de Profissionais em Relações Públicas) o profissional dessa área define-se como um comunicador e organizador institucional, passando uma imagem positiva de uma determinada empresa para o mercado.
O estudante de (relações públicas) Relações Públicas Thiago Felizardo, afirma que o curso possibilita criar estratégias e com elas convencer as pessoas a acreditarem em determinada empresa ou ir a determinado evento, dai vem o poder de influenciar nas escolhas de alguém.
O fantástico mundo da Publicidade
No Glamoroso e criativo mundo da Publicidade brasileira, encontramos inúmeras campanhas fantásticas e Publicitários tão fantásticos quanto as campanhas. E o caso de Washington Olivetto, sócio de uma das maiores agencias de publicidade do país, a W/Brasil. Washington, foi eleito o publicitário do século pela Associação Latino-americana de publicidade e também é um dos responsáveis pela superexploração da profissão na mídia.
Um bom exemplo da influência das campanhas publicitárias de Washington no Brasil é a da marca Bombril, vinculada desde 1978, com a participação do ator Carlinhos Moreno. Nesse trabalho nota-se que a marca tomou lugar do produto, pois as donas de casa não conhecem a esponja de aço mais sim o Bombril, toda esponja de aço é Bombril.
Jornalistas formadores de opinião
Dentre as três profissões que englobam as comunicações sociais, a de jornalista é considerada por muitos á mais polêmica e a quem mais tem capacidade de influência. Quem nunca se surpreendeu ou se chocou com alguma noticia dada por um jornalista ou ficou fascinado com a habilidade com que um repórter tira informações de um entrevistado?
Em muitos momentos o jornalista pode ser o vilão da história e acabar com a reputação de alguém, como aconteceu no caso da escola de base em 1994 na capital paulista , onde seis pessoas que trabalhavam nessa escola entre elas os donos, Ichshiro Shimada e Maria Aparecida, foram acusados de abuso sexual. A imprensa por sua vez publicou sem apurar os fatos as denuncias feitas pelo delegado da região, muito tempo depois as denuncias foram arquivadas por falta de provas mas os acusados tiveram sua imagem manchada pela imprensa.
Em outros momentos o jornalista torna-se herói, ao denunciar um esquema de corrupção, ou até mesmo tornam-se mártires como aconteceu com muitos correspondentes que morreram em coberturas de guerras e conflitos.
Diploma sim ou não
Uma das questões que envolvem a profissão de jornalismo é a questão do diploma universitário, que divide opiniões. Uns acham que ele é necessário, outros acham que não.
A assessora de imprensa da câmara dos vereadores de Hortolândia Paula Vialto é formada em jornalismo pela PUC Campinas e acredita que o diploma é importante, mas diz que existem ótimos profissionais de jornalismo que não o possuem. “Acho que o diploma é necessário sim, não só para te ensinar o que realmente é um texto jornalístico mais também para te ensinar sobre ética, política e mesmo sobre história da imprensa brasileira e mundial”. Mas um dos melhores jornalista e radialista que conheço Valter Paradella, não tem diploma aprendeu com o tempo. Diz Paula.
A assessora também aborda o fato de o andamento  das redações ser bem corrido, e os jornalistas não terem  muito tempo para ensinar uns aos outros, dai mais uma vez a necessidade de se ter uma faculdade de Jornalismo.
A era digital
A profissão de jornalista passa por muitas mudanças no país, principalmente por causa da era digital. Muitos jornais já disponibilizam seu conteúdo na Web, blogs se especializam em assuntos de interesse público e são muito acessados. Á cada dia mais pessoas procuram a internet em busca de informação.
Com essas mudanças pergunta-se qual seria o futuro da profissão de jornalista, o mercado estaria escasso? Paula acredita que o mercado não poderá mudar mais do que já mudou e cita as vantagens da era digital.A vantagem dos blogs e sites de jornalismo na internet é a rapidez com que a mensagem chega ao público. Você tem informações atualizadas minuto a minuto, e a desvantagem do papel é que depois que você lê a matéria e ela se torna muito velha, Já sobre o mercado de trabalho, acredito que não venha a ficar pior do que já está. Até porque o valor para se manter um site é bem mais barato do que um jornal impresso. Mas também não acredito que possa melhorar o campo de trabalho, acho que ficará como está.” Afirma Paula.
Em contrapartida ela, mostra outro campo que está em alta no jornalismo, que é assessoria de imprensa, uma profissão que não é muito bem vista por muitos jornalistas, mas é a que melhor paga na área. “Apesar de ser vista como a ovelha negra das comunicações, acho que o melhor campo para se trabalhar hoje é a assessoria de imprensa. Você tem os melhores salários, um trabalho não tão estressante e uma remuneração muito maior que das outras mídias. O piso para jornal impresso para 7h de trabalho está em R$ 2.548 já o de assessoria de imprensa é de 3.514,20 sendo que você tem maior liberdade no seu emprego, normalmente trabalhando de segunda a sexta em horário comercial.” Conclui Paula.

Marca da Agência W/Brasil

sexta-feira, maio 13, 2011

Hortolândia conquista o 1° lugar em Xadrez na Copa da Juventude

O professor Willian Idrani com a equipe masculina e feminina de Xadrez

Elisangela Carrenho

As equipes de xadrez masculina e feminina da cidade de Hortolândia participaram da Copa da Juventude na cidade de Nova Odessa, neste sábado dia 7 de maio, começando suas competições e entrando em 2011 com o pé direito.
A equipe feminina que foi ouro nos Jogos Regionais de Americana em 2010, mesmo com a falta de uma quarta atleta conquistou a medalha de prata nos jogos das juventude até 18 anos, no ginásio Santa Rosa, em Nova Odessa, o que garantiu para a cidade de Hortolândia um ótimo resultado, pois a cidade conquistou o empate na pontuação com a primeira colocada que foi a cidade de Iracemápolis. O município não conquistou a medalha de ouro apenas por ter sido usado como critério de desempate o número de tabuleiros, e como a equipe tinha um tabuleiro a menos, perdeu o ouro.
Confira o resultado dos jogos femininos:

1 – Iracemápolis: 10 pontos
2 – Hortolândia: 10 pontos
3 - Santa Bárbara d´ Oeste: 5,5 pontos
4 - Rio Claro: 4 pontos
5 - Nova Odessa 2 pontos

A nova equipe masculina de Hortolândia conseguiu um ótimo 4° lugar, jogando de igual para igual com as fortes equipes do torneio.
Participaram da copa as seguintes equipes masculinas, já com sua classificação final:
1 – Piracicaba 23,0 pontos
2 – Iracemápolis 21,0 pontos
3 – Americana 15,5 pontos
4 – Hortolândia 13,5 pontos
5 – Nova Odessa 12,0 pontos
6 – Rio Claro 11,0 pontos
7 – Santa Bárbara d'Oeste 7,0 pontos
8 – Aguaí 6,5 pontos
“Os próximos torneios em que a cidade de Hortolândia estará participando serão: dia 15 de maio Xadrez Regional no Frango Assado Sumaré; dia 29 de maio Xadrez rápido na cidade de Iracemápolis e, estamos em aquecimento para os Jogos Regionais em Mogi Guaçu em julho de 2011”, afirma o Professor e Técnico de Xadrez da equipe de Hortolândia, Willian Idrani.
Ainda de acordo com o professor, as aulas acontecem todas as quartas feiras no ginásio de esporte Vítor Savala, ao lado do Parque Irmã Dorothi das 18 as 21hs, e aos sábados na “SAMEST” na caixa de luzes, próximo a Sorveteria Danju ao lado do Colégio Everest, na cidade de Hortolândia, das 8 as 13 hs.

quarta-feira, maio 11, 2011

Mãe é mãe

FERNANDO SILVA

É imperdoável fazer um post sobre o Dia das Mães com alguns dias já passados, mas como ainda falta muito para o Dia dos Pais, tá valendo. De fato, não há como passar batido. E é por isso que estou aqui escrevendo essas linhas em homenagem à minha mãe, mas que serve também para as mães que amamos e também às mães dos filhos e filhas que tenho dentro do meu coração.

Mãe é aquela que dá a vida, que apoia, que conforta, que mostra os caminhos, que orienta, que sempre acerta a previsão do tempo, que às vezes até exagera nos cuidados, mas que assim o faz porque é tão somente e simplesmente mãe. Quem não admira, quem não gosta de tudo isso, da comidinha que mama faz, que se manifeste. Duvido muito.

Certa vez, vi o Tim Maia comentar que por um tempo, ficou longe da família, da mãe, não deu notícias por mais de três anos, quando vivia nos Estados Unidos. O tempo passou, dona Maria Imaculada se foi, e ele, no auge do sucesso, demonstrou enorme arrependimento por não ter curtido mais sua mãe. Confesso que esse é um dos poucos medos que tenho. Mas graças a Deus, ela, dona Marlene, está cada vez mais forte e cheia de vida. Também presto reverência à mãe de uma amiga e torço por sua plena recuperação. Oração, certamente, não vai faltar.

Mas bueno, demos valor sempre às nossas mães. Não quero ser aqui moralista ou politicamente correto, muito longe disso. Mas é que mãe tem aquele amor incondicional, desprovido de qualquer tipo de interesse, que mulher nenhuma poderá proporcionar. São breves palavras, que nem de longe traduzem o sentimento que é cada vez maior a cada dia que passa, por mais que aconteçam brigas, discussões, nessa trajetória curtíssima chamada vida. Mas fica aquele salve e o 'eu te amo' não só à minha, mas como à todas as mães.

PS: Fiquei bem em dúvida sobre que foto ou vídeo colocar aqui. Demorei, relutei e tal. Mas sei que de nove entre dez mães, Roberto Carlos é preferência nacional. Então, aí vai um vídeo esperto do Rei. Espero que gostem!

Aquele salve!

quarta-feira, maio 04, 2011

Câmara de Hortolândia recebe minuta de projeto sobre segurança de Sindicato dos Bancários

Jeferson Boava entrega a minuta do projeto de Lei  ao Presidente da Câmara, Zezé (PT)  
ELISANGELA CARRENHO

O presidente da Câmara Municipal de Hortolândia, José Nazareno Gomes, o Zezé (PT), se reuniu no dia 28 de abril com o Sindicato dos Bancários de Campinas e Região, no Gabinete da Presidência da Câmara, para tratar de assuntos relacionados à segurança das agências bancárias do município. O presidente do Sindicato, Jeferson Boava, entregou a Zezé a minuta de um projeto de lei sobre segurança nos bancos, que também já foi entregue em vários outros municípios da região.

Um dos principais itens que constam da minuta é a instalação de portas giratórias tanto dos caixas eletrônicos para a agência, quanto da rua para os caixas eletrônicos. Essa medida é necessária, pois 30% das transações das agências acontecem nos caixas eletrônicos. Outra necessidade ligada a este fator, é a de aumentar a segurança não só dos clientes, mas também dos funcionários. Zezé ofereceu total apoio à minuta, que será transformada em projeto de lei, e já a encaminhou ao departamento jurídico da Casa, para serem tomadas as providências necessárias.

O objetivo principal da criação do projeto de lei é o de presar cada vez mais pela vida dos funcionários e clientes, uma vez que as agências têm uma maior proteção para o dinheiro que fica guardado. O projeto ainda prevê a instalação de câmeras internas e externas, assim como o monitoramento fora da agência 24 horas por dia. Outra proposta é a blindagem da fachada de vidro das agências para armas de até calibre 45, e construção de biombos e divisórias entre os caixas para evitar as famosas "saidinhas de banco".

O projeto também ressalta a importância dos vigilantes exercerem apenas a função de vigilância, pois em muitos casos, eles ajudam os clientes, auxiliam-os em suas dúvidas, repassam informações, enfim, exercem na maioria das vezes a função de atendentes de banco, o que segundo o projeto não é o correto, pois essas ações  podem distrair o vigilante, tirando sua atenção do foco principal que seria a segurança da agência.

Segundo Jeferson, existe um receio por parte dos municípios com relação à aprovação de projetos de segurança em bancos, pois há alegação de que o Banco Central é o responsável em ditar as normas nas agências. Porém, o Sindicato entende que o Banco Central é o responsável apenas pela circulação da moeda, mas o controle físico pertence ao Município, pois este sim é o responsável pelo uso e ocupação do solo.

Ao final da reunião, Zezé afirmou que “O Legislativo Hortolandense apoia integralmente o projeto, visando não apenas a segurança do dinheiro nas agências do município, mas principalmente dos funcionários e clientes, o que com certeza irá melhorar em muito o atendimento à população, passando a sensação de maior segurança à todos”.

segunda-feira, maio 02, 2011

Ponte Preta ganha partida nos pênaltis e disputará final do Torneio do Interior 2011

MARCELO CARLOS

A Ponte Preta, time de futebol de Campinas, disputou ontem (30 de Abril) a semifinal do torneio do interior contra o São Caetano. A partida ocorreu no estádio do Majestoso em Campinas

Nos 90 minutos de jogo, não houve gol de nenhum dos times, portanto a partida foi decidida nos pênaltis, onde a Ponte Preta marcou quatro gols, e o São Caetano, um gol.

Embora o jogo tenha sido fraco, a torcida pontepretana, gostou da partida e elegeram o goleiro Bruno o herói do jogo, pois ele conseguiu agarrar um pênalti batido pelo jogador do São Caetano.

A Ponte Preta irá disputar a final do torneio do interior contra o Oeste;  a data ainda está por ser definida.


Torcedores da Ponte Preta se preparam para assistir a partida entre Ponte e São Caetano , no estádio do Majestoso

quarta-feira, abril 27, 2011

Jamil Zogbi afirma: "Alguns professores denegriram a imagem da faculdade durante os protestos dos alunos"

TONY CLAYTOM


Jamil Zogbi é o responsável pela direção comercial do grupo UNIESP, além de ser o superintendente de sete unidades  no interior de São Paulo, recentemente ele deixou a direção interina da unidade de Hortolândia, a seguir os principais trechos da entrevista.


TC: Como o senhor entrou para o grupo?

JZ: Eu já conhecia o presidente do grupo há algum tempo, e como eu havia me desligado da faculdade de Casa Branca, ele me convidou para trabalhar no grupo UNIESP.

TC: Sobre os problemas que a faculdade vem enfrentando, o que o senhor pode nos dizer a respeito?

JZ: Em setembro de 2010, o então diretor Isaac Brenha desligou-se do grupo alegando problemas de saúde. Junto a isso, passamos a enfrentar uma série de protestos dos alunos, que estavam insatisfeitos com a greve dos professores na faculdade. Admito que na época faltou comunicação entre diretoria, professores e alunos a cerca da falta de informações, mas gostaria de dizer que alguns professores, tanto em setembro quanto no início deste ano de 2011, denegriram a imagem da faculdade. Digo também que não estou satisfeito com o trabalho realizado por alguns funcionários da faculdade, mas prefiro não citar nomes.

TC: A credibilidade da faculdade, na visão dos alunos, está prejudicada. Qual a sua visão a respeito?

JZ: Acredito que só com confiança e trabalho recuperaremos a nossa credibilidade. A chegada de novos cursos, como psicologia, logística e também na área de tecnologia, e que deverão ter duração entre 2 e 3 anos, serão introduzidos na unidade já no 2º semestre na grade curricular, e o convênio que estamos firmando com a prefeitura e o banco Santander devem trazer essa credibilidade de volta naturalmente. Agora, saliento que no corpo a corpo com os alunos, ouço mais elogios do que críticas ao trabalho que vem sendo realizado. Outro ponto a ser esclarecido é o de que muitos dos funcionários e professores que deixaram a faculdade, tem interesse em voltar a trabalhar aqui, digo isso com base em conversas que tive com essas pessoas.

TC: Além dos novos cursos, quais são os planos para a faculdade nesse ano de 2011?

JZ: Faremos uma nova calçada e instalações adequadas para cadeirantes. É importante que todos prestem atenção no que já foi realizado, como a troca de lâmpadas em diversos corredores, o desentupimento dos banheiros, corte da grama e o laboratório de informática que está funcionando em perfeitas condições. A falta de professores principalmente no curso de comunicação e a reposição de peças no estúdio de TV são problemas que em breve pretendemos sanar.

Câmara sedia Seminário de Saúde da Mulher


ELISANGELA CARRENHO

Hortolândia — A Câmara Municipal de Hortolândia sediou na noite do dia 7 de abril passado, o Seminário de Saúde da Mulher, que contou com a presença do Dr. Odair Albano, médico especialista do assunto. Participaram também do evento, a Deputada Estadual Ana Perugini, a Vice-Prefeita Jacyra Aparecida Santos de Souza, a Secretária de Educação do Município, Sandra Mara Azevedo Fagundes, o Secretário Municipal de Saúde, Dr. Lourenço Daniel Zanardi, o presidente da Câmara José Nazareno Gomes, o Zezé (PT) e os vereadores: Renata Cristina Belufe Moreno Lippaus, a Renata Belufe (PT), Terezinha Corrêa Prataviera, a Terezinha (PT), Gervásio Batista Pozza (PT) e Edvan Campos de Albuquerque, o Ceará (PSB).

O evento foi idealizado pela vereadora Renata Belufe, em parceria com a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Mulheres, e contou com palestras ministradas pelo Dr. Odair Albano, médico Ginecologista da UNICAMP (Universidades Estadual de Campinas), que debateu sobre diversos assuntos, dentre eles, os direitos universais da mulher, assim como o seu direito à saúde e higiene.

De acordo com a vereadora Renata Belufe, “é necessário que Hortolândia tenha a saúde como alicerce e base, aliada à construção de políticas públicas para as mulheres, para que se possa garantir assistência às mulheres do município”. Renata destacou que houve liberação de verbas de R$ 440 mil do Governo Federal, conseguidos com o apoio da deputada Perugini, destinados à construção do Centro de Saúde da Mulher, que contará também com serviços emergenciais.

Ana Perugini, por sua vez, afirmou que uma em cada quatro mulheres sofrem constrangimentos na hora do parto, e que, nos dias atuais, é inadmissível que ainda aconteça esse tipo de tratamento. “Estamos trabalhando para erradicar essa forma de pensar; é necessário que não se perca a empatia e compreensão às mulheres com relação a essa questão”, ressaltou Ana.

Para a vice-prefeita Jacyra, “a saúde envolve o ser humano como um todo, e o município está investindo nesse sentido, principalmente na área de saúde da mulher, para que as mesmas sejam assistidas de forma digna”.

quarta-feira, abril 13, 2011

Campanha da Fraternidade 2011

Em tempos onde a preservação do meio ambiente é tema discutido em todo o mundo, a campanha da fraternidade 2011, pega carona no assunto e aborda o tema “Fraternidade e a vida no planeta” tendo como lema “  A criação geme com dores do parto “.
 O bispo auxiliar da CNBB (Conferência nacional dos bispos do Brasil) Dom Dimas Lara Barbosa, diz o que a campanha irá trazer a reflexão sobre a ecologia e sobre as mudanças climáticas ocorridas no planeta.
  Católicos de todo o Brasil irão debater, o assunto em suas paróquias e comunidades e abordar questões e soluções.
   O tema desse ano aborda um assunto que está em pauta nas grandes discussões mundiais e a igreja católica pretende entrar nessas discussões, para poder ter mais participação nas conferências  sobre o meio ambiente .
 A dona de casa Helena da Silva, participante da paróquia Nossa senhora Aparecida em Hortolândia, diz que nunca havia pensado no assunto  abordado pela campanha desse ano, mas agora o acha  de suma importância para a sociedade. “ Aqui mesmo em Hortolândia, ha medida que nos moradores podemos tomar para ajudar na preservação do meio ambiente como por exemplo a diminuição no desperdício de água e a separação dos lixos na coleta seletiva” diz Helena. 
 A campanha da fraternidade 2011 teve início no último dia 09 e terminará no próximo dia 20 de Abril precedendo á páscoa.

Marcelo de Sousa


Campanha da Fraternidade 2011, o Planeta pede socorro
 

terça-feira, abril 12, 2011

Senna, 20

Senna quebrou jejum de vitórias no Brasil ao vencer em São Paulo na pista cuja curva mais famosa leva seu nome
FERNANDO SILVA

Há duas décadas, Ayrton Senna conquistava aquela que seria uma das vitórias mais dramáticas de sua consagrada carreira. No dia 24 de março de 1991, o então piloto da McLaren cruzou a linha de chegada do GP do Brasil, realizado em Interlagos, na primeira posição, após conviver com problemas crônicos no sistema de câmbio semiautomático do MP4-6. Ainda assim, apenas com a sexta marcha, Senna alcançou uma vitória histórica diante de 70 mil torcedores, vitória que seria decisiva para a conquista do tricampeonato no fim daquele ano.

A etapa brasileira fora a segunda do Mundial de 1991. Ayrton venceu antes o GP dos Estados Unidos, realizado nas ruas de Phoenix, cidade cravada no deserto do Arizona. Senna chegou ao Brasil como franco favorito, já que Alain Prost capengava com a Ferrari 642. A Williams, ao contrário, estava em franca ascensão com Nigel Mansell e Riccardo Patrese, mas o piloto da McLaren de número 1 sobrou desde o início das atividades em Interlagos nos treinos de sexta.

A força de Senna ficou evidente na classificação, quando o brasileiro conquistou a pole de maneira absoluta, sendo quase 0s4 mais rápido que Patrese. Mais atrás, Mansell — aquele que viria a ser seu grande rival em 1991 — faturou a terceira posição do grid, tendo o companheiro de Ayrton, Gerhard Berger ao seu lado. Na terceira fila, largou a dupla da Ferrari, com Jean Alesi à frente de Prost, que foi seguido pelo duo brasileiro Nelson Piquet, com a Benetton, e Maurício Gugelmin, com a Leyton House. Companheiro de Piquet, Roberto Moreno largou em 14º.

O clima nas arquibancadas era de absoluta certeza da vitória de Senna. Jamais o piloto havia vencido no Brasil. Seu melhor resultado aconteceu em 1986, quando ainda defendia a Lotus. Naquela oportunidade, Ayrton foi superado por Nelson Piquet em Jacarepaguá. Mas o grande revés do brasileiro aconteceu em 1990, quando viu seu maior rival e então campeão mundial Prost subir no alto do pódio em São Paulo, enquanto Senna teve de se contentar com a terceira posição.

Supremo no início da temporada, o piloto sabia que tinha a grande chance de se consagrar no Brasil. Ayrton largou bem em Interlagos e manteve a primeira posição sem ser ameaçado pelos rivais da Williams, que inverteram as colocações, com Mansell tomando o segundo posto de Patrese. Desde o princípio da corrida, o ‘Leão’ foi o maior oponente de Senna, que mostrou força com o FW14.

Embora sempre próximo de Senna, jamais o britânico chegou a esboçar uma ultrapassagem sobre o então bicampeão do mundo. As chances de Nigel em buscar a ponta praticamente se extinguiram no primeiro pit-stop na volta 25. Após a troca de pneus, o ‘Cinco Vermelho’ não conseguiu engatar a primeira marcha, e sua parada durou eternos 14s59, perdendo a segunda posição para Patrese e a terceira para Alesi.

Mas tão logo o veterano italiano da Williams de número 6 foi aos boxes, Mansell voltou à segunda colocação, mas já estava longe de Senna, que reinava soberano na ponta. Na tentativa de diminuir a vantagem para o brasileiro, Nigel estabeleceu sucessivas voltas rápidas, mas desgastou os pneus da Goodyear, sendo necessário mais um pit-stop, praticamente sepultando suas chances de vitória. Na volta 60, com problemas no câmbio, o britânico rodou no S do Senna e abandonou a prova. Era a senha para uma mais uma vitória fácil de Senna. Mas foi exatamente o contrário.

O abandono de Mansell coincidiu com a perda sucessiva de marchas do carro da McLaren nas dez voltas finais do GP do Brasil. A imensa vantagem de quase 40s para Riccardo foi pulverizada, já que o italiano andava sempre 3s, 4s mais rápido que Ayrton. A falha no câmbio atingiu o limite quando o carro do brasileiro ficou apenas com a sexta marcha disponível, causando um esforço tremendo, tanto em termos físicos quanto psicológicos, para tentar manter o bólido em um ritmo aceitável e à frente do rival da Williams.

Senna conseguiu amenizar o desempenho superior de Patrese e ainda contou com a chuva, como aliada no final da prova. Após 1h38min28s, o brasileiro cruzou a linha de chegada em Interlagos a meros 2s991 do italiano, causando uma verdadeira festa, não apenas no circuito paulistano, mas em todo o Brasil. Senna comemorou muito sua primeira vitória aos berros. “Eu não acredito, eu não acredito”, bradou. Esgotado, Ayrton mal conseguiu completar a volta de comemoração, estacionando seu McLaren na Reta Oposta, e foi trazido de volta aos boxes pelo carro da organização da corrida.

No pódio, Ayrton deu mais sinais de seu cansaço. No lugar de honra, o piloto ergueu, com muito sacrifício, o troféu destinado ao vencedor. A consagração veio com o banho de champanhe dado pelos companheiros de pódio, Patrese e Berger. Já na entrevista concedida após o encerramento da prova, Senna dedicou o resultado aos céus. “Foi Deus”.

José Alencar, a luta pela sobrevivência


José Alencar vai ficar para a posteridade por sua brava e incansável luta contra a morte. Os homens vão, ficam os mitos

TONY CLAYTOM

Mais do que a morte do ex-vice-presidente José Alencar, eu gostaria de discorrer hoje aqui nesse espaço de reflexão sobre o quão a luta pela sobrevivência é difícil.

Gostaria antes, porém, de deixar bem claro que este não é um texto partidário ou mesmo político, mas sim um texto em que gostaria de expressar a minha admiração por alguém que passou os últimos meses e também os últimos anos na luta pela sobrevivência. Todos os dias, nos deparamos com histórias de pessoas que estão nas filas de transplante à espera de um rim, um coração, enfim, à espera de um órgão que poderá lhes devolver a luta pela vida. Quem de nós não conhece alguém que atualmente passa um problema de saúde?

Pois bem amigos, o que mais admiro na maioria dessas pessoas é a capacidade de não se entregar, de lutar e de querer viver cada vez mais. Exemplos como esses devem ser seguidos por todos que vivemos reclamando, praguejando, e por que não dizer, amaldiçoando os problemas, os percalços, enfim, tudo que nos acontece a cada dia.

Problemas, todos nós temos. A vida não é fácil para nenhum de nós, mas cada um tem o direito de escolher: ir à luta ou desistir? E é por isso sempre que digo e encerro meus textos aqui neste espaço de reflexão dizendo: “É vida que segue”.

José Alencar, vá em paz no seu caminho e que Deus lhe dê o reino da glória.

Abraço a todos...